Home care: Uma tendência entre os cuidados de saúde

Afinal, o que é?

            Todos nós sabemos que em algum momento de nossas vidas, precisaremos de cuidados especiais, em decorrência de alguma doença incapacitante. A necessidade de cuidados especiais pode levar a internação hospitalar. Porém, essa nem sempre é a melhor opção, uma vez que possui grandes chances de causar riscos à pessoa internada, muitas vezes piorando o seu estado de saúde. Por isso, hoje falaremos da Home Care.  Afinal, o que é uma home care?

            A palavra home vem do inglês e significa casa, enquanto a palavra care significa cuidado, ou seja, home care significa o “cuidado em casa”. Então, de modo geral, home care é a Assistência Domiciliar, é o fornecimento de serviços de saúde em domicilio, para pacientes que tenham seu quadro de saúde debilitado e estejam impossibilitados de se deslocarem até os serviços de saúde.

Quais os objetivos da Home Care?

            Quais são os reais objetivos de uma home care? O que ela pretende?

Dentre os objetivos do cuidado em casa, estão:

– A humanização no atendimento. Ou seja, a pessoa cuidada recebe um atendimento mais humano, com mais afeto e maior atenção;

– Maior rapidez na recuperação do paciente. Como o paciente terá maior atenção e atendimento individualizado da equipe, sua recuperação será mais rápida em vista de uma internação hospitalar;

– Diminuição no risco de contrair infecção hospitalar. Como o paciente cuidado em casa não terá contato com outros doentes e nem com equipamentos de saúde que são compartilhados, o risco de contrair infecção hospitalar é menor;

– Tranquilidade e conforto do paciente, por estar em casa e perto de seus familiares;

– Redução de custos por dia de internação;

– Prevenção de sequelas;

– Redução de internação por recaídas de sua doença.

            De modo geral, o objetivo do cuidado domicilar é integrar o paciente junto aos seus familiares, proporcionando assistência humanizada, maior participação do paciente e de sua família no tratamento, diminuindo assim, os riscos de internações e, aumentando a qualidade de vida do paciente e de seus familiares.

Como surgiu?

            Aliás, desde quando existe a modalidade home care aqui no Brasil? Como se deu? Essa modalidade teve inicio primeiramente nos Estados Unidos, na década de 80. No Brasil, no final da década de 80 já existiam empresas que prestavam esses serviços, mas ainda era muito pouco. Essa modalidade passou a ser utilizada com mais frequência somente na década de 90.

            E porque surgiu a necessidade da criação de uma home care? Porque foi necessário o paciente passar a receber cuidados em casa?

            A assistência em domicilio passou a existir por diversos motivos, entre eles:

 – Necessidade de desospitalização, ou seja, a necessidade de dar alta para o paciente da internação. Porém, nem sempre o paciente está totalmente recuperado e pronto para desempenhar suas atividades cotidianas normalmente, o que exige a continuidade do cuidado no conforto de casa;

– Necessidade de alta para pacientes de longa permanência hospitalar, ou seja, aqueles pacientes que permaneciam por longos períodos internados, com o objetivo de reduzir o risco de infecção hospitalar;

– Desejo de pacientes e de seus familiares de permanecerem por mais tempo juntos na convivência familiar.

            A quem se destina?

            Em fim, para quem se destina o cuidado domiciliar? Quem pode recebê-lo? Embora muitos tenham a ideia de que os serviços de home care sejam exclusivamente para idosos e para pessoas com doenças terminais, qualquer pessoa, independente de faixa etária, que necessite de cuidados e que tenham condições de receber tratamento fora do hospital, pode usufruir dos serviços de uma home care.

Como funciona?

            Afinal, como funciona na prática esse serviço? Quais os profissionais envolvidos na prestação desses cuidados?

            As empresas, prestadoras do cuidado domiciliar, contam com equipes multiprofissionais, ou seja, uma equipe que é composta por profissionais de diferentes áreas. Geralmente, envolve o médico, enfermeiro, nutricionista, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, dentre outros, que devem prestar os serviços com a mesma qualidade daqueles realizados na internação hospitalar.

            E como é indicado ao paciente o cuidado em casa?  O profissional que acompanhou o paciente durante a internação é quem deve indicar a modalidade de atenção domiciliar, pois ele conhece toda a trajetória do paciente, seus avanços e suas limitações.  

            Após a indicação pelo profissional, deve ser realizada uma avaliação global do paciente com a elaboração de um plano de cuidados, que deve descrever quais os cuidados que serão contemplados, os recursos necessários e o tempo estimado para alta do programa. Além disso, as empresas que prestam cuidado domiciliar devem manter o prontuário do paciente na casa do mesmo pelo período da prestação do serviço e disponibilizar todas as informações necessárias ao paciente e familiares, em linguagem clara e acessível.

                        Pensando melhor atende-los a Human Life ofertamos o cuidado, por meio de uma equipe especializada. Realizamos visitas semanais para um acompanhamento mais próximo do paciente, disponibilizamos relatórios para os familiares e estamos disponíveis 24horas para quaisquer intercorrências.

            Gostaria de uma Avaliação Diagnóstica gratuita, sem compromisso? Entre em contato, estamos sempre à disposição!

_______________________________________________________________

            Por hoje é só, esperamos que tenham gostado do tema de hoje.

            Fiquem atentos as próximas publicações, estaremos sempre disponibilizando algo novo. Estejam a vontade para dar sugestões, opiniões ou tirar dúvidas 🙂

            Até a próxima!

            Abraços,

            Equipe Human Life. 0000000000

WhatsApp chat