As Fases do Luto: como identificar e ajudar a si mesmo ou à um ente querido

    Independentemente do estágio de desenvolvimento da sociedade, a morte sempre foi um assunto gerador de grandes polêmicas, mesmo que seja a única certeza a partir da existência de todo ser vivo. O processo de finitude muitas vezes pode ser encarado com grandes dificuldades, principalmente em casos de indivíduos jovens ou quando ocorre uma inversão da ordem em que se é esperada, como por exemplo, no caso de filhos que morrem antes dos pais. Apesar das diversas formas de vivenciar esses processos e de encarar a questão da morte em si, o fato é que todos aqueles que perdem um ente querido passam pelo mesmo processo: o luto.

    Embora o processo de luto pareça algo simples, pode se tornar bem complexo, devido às várias fases existentes e de acordo com a maneira particular de enfrentamento de cada indivíduo o que inclui fatores como: idade, desenvolvimento cognitivo, rede de suporte, crença, sociedade da qual pré-determina os valores de cada um, entre outras coisas.

O luto apresenta 5 fases:

FASE 1 – Negação:

A negação é uma das fases que mais envolve insegurança e autodefesa. É vista como uma espécie de autodefesa e que impulsiona o alívio do impacto do acontecimento.  Geralmente, a pessoa que vive a negação, procura se isolar e questiona-se frequentemente. Portanto, nessa fase o indicado é respeitar o espaço do indivíduo em Luto para que, quando se sentir pronto, possa voltar ao convívio natural. Também é importante estar próximo e à disposição para conforto, mas respeitando o espaço da pessoa e seus limites.

FASE 2 – Raiva:

A negação é a segunda fase do luto, conhecida por ser repleta de perguntas e questionamentos e ressentimentos. Na verdade, a forma com que a pessoa age remete à raiva, à mudanças de comportamento e de personalidade. Porém, trata-se apenas de mais uma fase do luto, que indica uma perspectiva negativa da realidade e, logo, evoluíra para outra fase.

FASE 3 – Barganha:

Conhecida como a fase em que a pessoa tenta negociar consigo mesma para que sua vida, rotina e afazeres voltem a ser como antes do evento da morte. Trata-se de uma fase curta, que em alguns casos, não é nem manifestada.

FASE 4 – Depressão:

É a fase que marca o “cair na realidade”. Devido à isso, a tristeza que, muitas vezes é resguardada vem à tona e é sentida com grande intensidade e frequência. É tido como o momento mais intenso do luto.

FASE 5 – Aceitação:

A fase final do luto, onde a pessoa consegue encarar a perda e vivenciar o evento ocorrido com maior clareza.

É importante ressaltar que de acordo com a história e vivência de cada indivíduo, o luto pode ser mais intenso ou desapercebido. Porém, ele sempre ocorre quando existe uma perda significativa, podendo ser longo ou curto. Ainda, existem pessoas que demoram muito tempo para passar por algumas fases e evoluírem no processo; porém em casos onde há muito sofrimento, é indicado buscar por profissionais da saúde que auxiliem nesse processo, de forma a não reprimir os sentimentos em questão, mas a incentivar a pessoa a vivenciar e não reprimir seus sentimentos, assim como reconhecer sua jornada a partir do evento da morte.

Por:
Beatriz Coppi Lavelli
Estagiária Human Life 2020
Graduanda em Gerontologia pela Universidade Federal de São Carlos
E-mail: bcoppilavelli@gmail.com / Instagram: @biageronto

Referências:
RAMOS, Vera Alexandra Barbosa. O processo de luto. Psicologia.pt o portal dos psicólogos. ISSN 1646-6977. 25 Nov 2016. Disponível em: https://www.psicologia.pt/artigos/textos/A1021.pdf Acesso em: 25 Nov 2020

FILHO, Clóvis. 5 fases do luto: quais são essas fases e como atravessá-las. Blog Minha Vida, Redação. 11 Mai 2020. Disponível em: https://www.minhavida.com.br/bem-estar/materias/36300-5-fases-do-luto-quais-sao-essas-etapas-e-como-atravessa-las Acesso em: 25 Nov 2020

WhatsApp chat