O envelhecimento e a cognição

Você certamente já ouviu falar em cognição. Mas você sabe o que isso significa? Bom, cognição é, de forma geral, a capacidade que nosso cérebro tem de captar e decodificar informações, de forma a transformá-las em conhecimento, com base em um conjunto de habilidades como: percepção, linguagem, atenção, memória, capacidade de aprendizagem, capacidade de execução, entre outros. Ou seja, a cognição é a interpretação que o cérebro faz de todas as informações coletadas pelos sentidos humanos e a conversão dessas informações.

            O envelhecimento pode ser caracterizado pelo declínio funcional. O declínio funcional engloba também, a cognição, o que leva ao declínio cognitivo. Este pode variar a depender de fatores como idade, nível de escolaridade, sexo e nível socioeconômico, além, das alterações funcionais e estruturais do cérebro. Tais alterações podem levar a demência, comprometimento cognitivo leve ou até mesmo a depressão, gerando sinais e sintomas que interferem do dia a dia do individuo. Um fator protetor ou que pode retardar e minimizar os sinais e sintomas das alterações cognitivas é a estimulação cognitiva.

            A estimulação cognitiva consiste em uma série de atividades que visam eliminar ou atenuar déficits cognitivos, alterações comportamentais, além de melhorar a capacidade do individuo para processar e utilizar informações.  É direcionada a adultos ou idosos, saudáveis, ou com quadros de comprometimento cognitivo leve, quadro demencial seja em fase inicial ou avançada, com alto ou baixo nível de escolaridade.

             Além disso, é possível treinar determinadas habilidades, bem como moldar o treino de estimulação para diversos níveis e perfis. Pode-se treinar as funções cognitivas, como a atenção, memória, linguagem, velocidade de processamento, entre outras.

            Ainda, é de suma importância incentivar o idoso no seu dia a dia, incentivá-lo a praticar atividades que exijam mais de sua cognição, pois assim, estará melhorando a sua qualidade de vida, preservando e melhorando suas funções cerebrais. A prática de atividades como leitura, escrita, jogos, são fatores de proteção que ajudam a sanar os prejuízos cognitivos. A prática de estimulação cognitiva é reconhecida e comprovada cientificamente e clinicamente em várias pesquisas.

            Dentre os profissionais que podem realizar a estimulação cognitiva está o gerontólogo. E nós, da Human Life, temos em nossa equipe o gerontólogo. Profissional esse, capacitado a atender aos idosos nas dimensões biológicas, psicológicas e sociais de sua vida. Por isso, nós temos o que há de melhor para seu familiar. Contamos com profissionais capacitados para atendê-los da melhor maneira. Contate-nos e faça uma avaliação gratuita. Nós vamos até você. Afinal, cuidar é um ato de amor e merece atenção.

_____________________________________________________________

            Por hoje é só, esperamos que tenham gostado do tema de hoje.

            Fiquem atentos as próximas publicações, estaremos sempre disponibilizando algo novo. Estejam a vontade para dar sugestões, opiniões ou tirar dúvidas 🙂

            Até a próxima!

            Abraços,

            Equipe Human Life.

WhatsApp chat